quinta-feira, 16 de julho de 2009

Cineclubes

Que o preço do cinema está nas alturas é fato. A cada dia é mais complicado pagar para ver um filme na telona, ainda mais para quem, como eu, não tem mais carteirinha de estudante para pagar meia entrada. E não é só esse o problema que faz do acesso ao cinema algo restrito. Além dos altos valores, milhares de cidades no país não possuem salas de exibição. É uma constatação triste, ainda mais quando paramos para pensar que não é só diversão. É cultura, cidadania e instrumento de transformação social.

Os cineclubes tem exatamente a intenção de preencher esse vazio que existe no Brasil. É uma alternativa bacana para ver filmes que geralmente não estão no circuito das salas comerciais e de graça. Opção interessante para quem gosta de cinema e quer assistir e debater. E se engana muito quem pensa que isso é coisa de nerd cinéfilo, de estudantes que não tem mais o que fazer ou apenas de panelinhas formadas por gente ligada à produção audiovisual.

Qualquer pessoa ou instituição que tiver vontade de montar um cineclube pode participar do evento que acontece esse final de semana em Goiânia, nos dias 17 e 18, no Centro Cultural Caravídeo. É a etapa estadual do Circuito em Construção - Seminários Estaduais para a Auto-Sustentabilidade Cineclubista. A intenção é instruir sobre como montar e sustentar um cineclube, já que não dá para manter sozinho - financeiramente - uma estrutura como essa. Existem incentivos inclusive do Ministério da Cultura.

Apesar de existirem pelo menos 12 cineclubes em Goiás, infelizmente, eles não funcionam regularmente, com exibições constantes. É o que afirma Luiz Felipe Mundim, Coordenador do Cine Mais Cultura da ABD-GO e do Cineclube Cascavel. Isso é porque, segundo Luiz Felipe, a galera em Goiás ainda não tem a mesma consciência dos cineclubistas dos grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro. A atividade cineclubista, que completa esse ano 81 anos no Brasil, se fortalece cada vez mais e consegue se auto-manter. Para fortalecer esse movimento também em Goiás, basta se unir e se conscientizar sobre a força e poder de mobilização do cineclubismo.

O projeto Circuito em Construção – Seminários Estaduais Para a Auto-Sustentabilidade Cineclubista reuniu em junho de 2008 no Rio de Janeiro um representante do movimento de cada estado brasileiro. Cada representante se preparou para realizar o evento em seu estado. Goiás fechará a lista dos seminários estaduais com a presença de importantes nomes para o Cineclube nacional e internacional, como o Presidente do Conselho Nacional de Cineclubes e Vice-Presidente da Federação Internacional de Cineclubes Antônio Claudino de Jesus, o Coordenador-Geral de Difusão de Direitos Autorais e de Acesso à Cultura do Ministério da Cultura (MinC) Rafael Pereira Oliveira e o Coordenador Executivo da ação Cine Mais Cultura do MinC Frederico Cardoso.

Antônio Claudino, aliás, é uma pessoa super disponível, com anos de experiência em cineclubismo. Conversei um pouco com ele por telefone, mas infelizmente no Diário da Manhã saiu apenas uma notinha, porque as fotos não estavam muito boas e por esse motivo seria complicado dar destaque. Claudino explicou que para montar um cineclube e para fazer com que ele dê certo, é necessário que em primeiro lugar, exista um grupo de pessoas interessadas em ver e discutir filmes. É importante também que esse grupo possua uma identidade com a comunidade em que está inserido e que veja o cinema não apenas como diversão, mas como uma forma de exercer a cidadania. Outra dica interessante de Claudino é o site www.cineclubes.org.br para quem tem interesse se familiarizar mais com o tema.

Nos dois dias de seminário serão realizadas seis mesas-redondas que discutirão temas como: O panorama do cineclubismo no Brasil e no mundo; Cineclubismo e Memória em Goiás; Direitos Autorais; Programação e Distribuidores de Conteúdo; Cineclubes, uma rede em defesa dos direitos do público; Mecanismos de Financiamento da Cultura; Relatos de Experiências Locais.

Para quem quer saber mais:
Circuito em Construção - Seminários Estaduais para a Auto-Sustentabilidade Cineclubista

Quando? 17 e 18 de julho, das 9h às 18h
Onde? Centro Cultural CARAVÍDEO Rua 83, n.º 361, Setor Sul – Goiânia – GO
Inscrições gratuitas pelo: www.cineclubecascavel.blogspot.com
Vagas limitadas
Mais informações: (62) 3218-6895 (Delma ou Tatiane)

12 comentários:

lara disse...

Não sabia desse Cineclubismo.

Muito menos que aqui no Rio era algo tão importante e reconhecido.

Não sou chegada a filmes, nunca gostei muito. São raros os que paro pra ir ao cinema, raro mesmo. Mas adorei os temas debatidos, são temas que me interessa muito. Até gostaria de me informar mais, só que o complicado é ter vê-los[err]. Mesmo assim vou me informar, quem sabe não posso ajudar de alguma forma, né?!

Obriga Lídia. ^^

Beijos

Luiz Mundim disse...

Estou vendo hoje sua matéria aqui, Lídia. Adorei. Pena não ter sido publicada no impresso, pois seria talvez a melhor até hoje publicada por aqui sobre o tema. Parabéns. Obrigado.

Fica, além do abraço, o convite sincero e caloroso para que participe com a gente lá no Cascavel, toda terça, 19h30.

Lídia Amorim disse...

Que bom que você curtiu, Luiz. Fico super feliz. Com certeza vou lá sim! Abraço grande!

Liliam Freitas disse...

Hello menina, qto tempo. Senti falta de sussuros e vi aqui. Layout novo de novo. Parece que tem um cheirinho, gostei. Fico mais aconchegante, parece uma cama, e o acho que não tem a ver com o fato de eu já com soninho.

CenouraVerde disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CenouraVerde disse...

"E se engana muito quem pensa que isso é coisa de nerd cinéfilo, de estudantes que não tem mais o que fazer ou apenas de panelinhas formadas por gente ligada à produção audiovisual."
O quê? Agora vc acha que só basta vc justificar o fato de vc ser cinéfila e nerd ao mesmo para tirar seu time de campo? Ahhh, convenhamos hein, moradora do extremo exotérico brasileiro, paga logo essa porra de cinema que vc ganha de graça....Ou vc acha que eu não sei que vc dá carteirada de jornalista? Caralho!

Lídia Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lídia Amorim disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Calage vc é podre...kkkkkkkkkkkk

E não, não dou carteirada. Infelizmente. kkkkkk

Liliam Freitas disse...

Se é jornalitsa tem direito ao acesso livre, assim como médico tem as amostras grátis. Qual seria o problema? Inveja, é cada coisa que aparece. Valeu lidia, o quadro no que se refere ao cinema é triste no que tange ao acesso

CenouraVerde disse...

oi, Liliam, ao contrário do que você pensa, não tenho inveja da Lídia. Até admiro o trabalho dela, mas, se a carapuça serviu, dane-se. E outra: sou Jornalista.

Liliam Freitas disse...

Não serviu nada de carapuça, o senhor é que não parece ser do métier, ou pelo menos não me pareceu para alegar coisas absurdas.abs

Lídia Amorim disse...

Calma meninos...hehehehehehe
Não repara Liliam, o Calage é meio bobo mesmo...Num parece, mas ele tava só curtindo com a minha cara...hehehehe
Valeu por me defender. Ah e valeu por voltar a ler o Sussurro. Senti sua falta.
Beijos!